sábado, 29 de novembro de 2014

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Sanhoane

q
Imagens captadas de diversos pontos, pelos quais passou a minha caminhada de ontem.





sábado, 25 de outubro de 2014

Macrolepiota procera

Mais uma vez tive fotos no Top 20! Esta foi a última a ser premiada! :-)

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Flor de cerejeira

Top 20

Planalto Mirandês

Do alto da serra da Castanheira   a vista alonga-se para lá da froteira com Espanha,A esta fotografia foi atribuido o p´remio de participação.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

domingo, 14 de setembro de 2014

Tons Outonais

É assim o Outono no Planalto Mirandês...multiplos matizes..

Primavera em Sanhoane

É assim no Planalto! Uma profusão de verde por todo lado! É o acordar da natureza da letargia invernal

Ramagem de freixo

É uma árvore autóctone...e é linda!

Primavera em Sanhoane

É assim a Primavera em Sanhoane....uma explosão de verde e de luz. 

sábado, 13 de setembro de 2014

Pauliteiros de Sanhoane

Os gaiteiros que acompanham os Pauliteiros de Sanhoane na festa de Sta Bárbara . 


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mogadouro

 Bar do terminal rodoviário de Mogadouro.
 Carros de bois
Jardim de Mogadouro

Estátua do escritor Trindade Coelho em Mogadouro.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Outro olhar sobre a lagoa

Esta foto não foi tirada por mim, mas sim pelo meu irmão Telmo Ruano. O seu, a seu dono!
Por a achar belíssima e com a devida autorização, publico-a aqui convosco.

Amanhecer em Sanhoane


Os preguiçosos não contemplarão este espectáculo sublime ao amanhecer....Centenas de andorinhas pousadas nos fio que cruzam a praça e outras em voos curtos, voltadas para o sol nascente , saúdam  mais um dia que começa




quarta-feira, 30 de julho de 2014

Oliveira centenária, quiçá milenar



A foto é minha e esta oliveira está à saída aldeia de Sanhoane, do lado esquerdo do caminho que vai para Saldanha



A uma Oliveira

Velha oliveira, ó irmã do tempo e do silêncio,
algo de ti se me tornou hoje perceptível;
algo que eu não conhecia e me fez parar
na ténue sombra que teces no caminho;
algo que é uma doce corola de contacto.

Já os passos da luz se afastam na colina
e um rumor de pérolas quebradas
desce, lentamente desce por toda a serrania.
Já as aves tuas amigas procuram na folhagem
a doçura acumulada nos favos da noite.
E também já são horas
de nós os homens, nós os que passamos,
suspendermos as cítaras do pensamento.

Entretanto, ó canção do crepúsculo, velha oliveira,
eu paro sob os longos cílios da tua ramagem.
Paro e, ao sentir nas mãos o teu enrugado tronco,
e, nos olhos, a serenidade das tuas folhas,
começo a entender uma bela mensagem:
a paz, ah a paz!, a rosa da paz.

É como se uma gota de azeite descesse,
brandamente descesse pelas coisas.

António Cabral

terça-feira, 29 de julho de 2014

O amanhecer do dia em Sanhoane

Hoje o dia começou pujante de luz e cor. Cada dia é diferente, a luminosidade é diferente, por isso , aqui fica este testemunho fotográfico.